quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Direiro Autoral e Pluralidade de Estilos



Os montanhistas não são iguais. Não só em relação à aparência física,força muscular ou habilidade técnica – cada um tem uma forma peculiarde enxergar o mundo. E isso depende não apenas dos órgãos dossentidos, mas também de todas as experiências, crenças, valores,atitudes e cultura que se adquire na vida.


Não é à toa que existem tantas formas distintas de esportes demontanha. Algumas valorizam o aspecto de cinestesia, habilidade,técnica e força, procurando minimizar artificialmente os perigosobjetivos. Outras dão mais importância ao lado da aventura e enfatizama capacidade de planejamento e organização, a velocidade de progressãoe fuga, a resistência ao estresse, a tolerância ao risco e àexposição, valendo-se mais de habilidades pessoais dos praticantespara redução do risco do que de artifícios tecnológicos.


A opção por uma ou outra, ou mesmo por um sem número de formasintermediárias, cabe exclusivamente ao indivíduo. Cada pessoa escalapor uma razão específica, aproveitando a montanha de uma forma bempessoal. Cabe ao montanhista escolher o desafio apropriado, não só àssuas habilidades, mas também à sua visão de mundo, à sua capacidade desuportar o risco e ao seu desejo de aventura.


O montanhismo mundial e, em particular, o Brasil, adotaram o direitoautoral como forma de assegurar a pluralidade de estilos. Essa opçãofoi feita visando a um equilíbrio entre as diversas formas deconquistar e escalar e para evitar que um determinado estilo prevaleçasobre os demais. Os montanhistas entendem que cada um deverá praticara escalada que achar mais adequada ao seu gosto. Desta forma, faz-senecessária a existência de vias de escaladas dos mais variados tipos.O presidente da União Internacional de Associações de Alpinismo – UIAA, o escalador inglês Ian MacNaught-Davis, remeteu para uma recenteAssembléia Geral da entidade uma carta contendo uma série de questõesa serem debatidas ou respondidas, conforme o caso. Como resultadodesta Assembléia, surgiu o livreto "To Bolt or Not to Be", cujo textoprincipal, em inglês ou em português, pode ser encontrado no site daFEMERJ. Neste texto, onde é expressa a opinião oficial da mais elevadaorganização do nosso esporte e cuja leitura recomendamos a todos osinteressados no tema, a UIAA deixa bem claro ser totalmente favorávelà pluralidade de estilos na escalada, bem como ao respeito à vontadedo conquistador.


A ética no montanhismo consiste, portanto, em reconhecer e respeitar adiversidade de formas de se curtir a montanha. Ninguém deve quererimpor aos outros o nível de proteção que considera adequado, tampoucoa sua filosofia de segurança, pois a pluralidade de estilos é uma dasmaiores riquezas dos esportes de montanha.Feitos estes breves esclarecimentos, reiteramos estar, como sempre,abertos a qualquer debate, inclusive através de nossa lista dediscussões na internet, onde muitos assuntos relevantes já foram abordados. Em nosso site (http://www.femerj.org) encontram-se as dicas de como entrar para aquela lista, cujo acesso é livre e gratuito.

Nenhum comentário: