segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Brasileira integra clínica de escalada em cascata

Ana Elisa a 7.000 metros, no Cho Oyu. Foto: Divulgação




A paulista Ana Elisa Boscarioli não se acomodou por conquistar o status de primeira brasileira a alcançar o cume de uma montanha com mais de 8 mil metros, e está no Colorado (EUA) em busca de aperfeiçoamento técnico. O objetivo da cirurgiã plástica é completar os Sete Cumes, relação de montanhas mais altas de cada continente. Ana já tem no currículo a escalada da face sul do Monte Everest, a 8.850 metros, no Nepal, e o Cho Oyu, a 8.201 metros, no Tibet. A montanhista participa de uma clínica de escalada de gelo no Ouray Ice Park para não falhar nas cinco montanhas restantes.


“Escalar em cascata de gelo é algo que me fascina e o fato de eu já ter escalado as duas montanhas mais altas dos Sete Cumes não significa que as outras sejam mais fáceis”, justifica a campineira, que espera fazer usar do conhecimento adquirido nestes dias nas cinco montanhas que ainda restam.


“As escaladas que terei daqui para frente exigirão muita técnica de escalada em gelo e rocha. Essas montanhas têm suas características e suas dificuldades. Não será nada fácil realizar mais este sonho, mas estou me dedicando muito para conseguir”, assegura.


Quase lá - Ana Elisa não esquece a escalada do McKinley, no Alaska, para ratificar a necessidade de buscar know-how. “Cheguei a menos de 30 metros do cume do McKinley, mas meus parceiros, o brasileiro Roman Romancini e o inglês Andrew Chandler, e eu decidimos voltar porque o vento estava muito forte – 100 km/h – o frio era congelante e tínhamos que passar por uma greta”, relembra. “Foi uma decisão difícil, mas necessária. Eu sou médica, cirurgiã plástica, tenho uma filha pequena, marido, família, Não valia a pena arriscar nossas vidas por mais um cume. Os meus parceiros também têm suas famílias e suas profissões. Como dizem, as montanhas estão lá, quando for para ser, será”, finaliza.



Nenhum comentário: