sábado, 15 de março de 2008

Gri-Gri X Cinch

Por: Davi Augusto Marski Filho


Todos os que escalam certamente conhecem o GriGri da Petzl, o que não é nada comum, mesmo fora do Brasil, é conhecerem o excelente Cinch da Trango. Depois de tanto ouvir falar nele e ver reviews favoráveis sobre o mesmo, decidi comprar um para conhecê-lo melhor, e qual não foi a minha surpresa ao verificar que em diversos aspectos ele é bem superior ao Grigri.



X



Vamos aos fatos:

1. É bem menor do que o Grigri, quase a metade do tamanho.
2. Tem quase a metade do peso do Grigri.
3. Cabe facilmente na palma da mão.
4. Tem apenas duas partes que se movimentam, ou seja, as partes móveis passíveis de apresentarem problemas são potencialmente menores
5. Trabalha com um número maior de cordas (diâmetros) do que o Grigri (de 9.2 a 10.5mm). Na prática ele tem travado com sucesso cordas de 8mm.
6. Não trava tão facilmente quanto o Grigri, ou seja, ao dar segurança para o guia, a corda desliza mais facilmente pelo Cinch do que pelo Grigri (excelente quando o guia está fazendo movimentos dinâmicos ou no cruz e necessita rapidamente de corda... o Grigri insiste em atrapalhar nessas situações)
7. A corda é muito mais facilmente clipada ao Cinch do que no Grigri
8. Sob tensão (rapel ou hangdog/baldinho, por exemplo) o controle sobre a tensão exercida com o Cinch é superior ao controle do Grigri
9. É mais barato do que o Grigri.



Depois de tanto ponto positivo (Não encontrei nada que desabonasse...), porque não usar o Grigri ? Bom... ai já é uma questão cultural, de marketing mesmo (e de distribuição no Brasil e lá fora também ! Não deve ser nada fácil ter a Petzl como concorrente... risos)... Enfim, depois que você usa um Cinch, acaba-se pensando sobre o porque gastar cerca de US$ 75,00 em um Grigri ao invés de US$ 49,00 em um equipamento "superior".... (valores USA).




Depoimentos da galera que usa o Cinch e o Gri-Gri:


Eu uso regularmente, e só posso apontar pontos positivos para o Cinch (que já estão no link acima). Os mais relevantes são:

a) Trabalha com uma amplitude maior de diâmetros de cordas
b) É muito mais leve e compacto que o grigri
c) Dá para utilizar corda de 9.1mm rsrsrsrs o que é excelente em escalada esportiva mais extrema/maior dificuldade.

Davi Augusto Marski Filho




Há algum tempo atrás eu estava com os dois. O Cinch é mais leve e aceita cordas com diâmetro menor, mas tem problemas para liberar cordas mais grossas e cordas estáticas. Outro problema dele, é que se o guia bobear e deixar a corda esticar e trava-lo, o botão para liberar a corda é mt pequeno sendo nescessário o guia correr para frente para liberar corda ou utilizar a alavanca, o que é demorado e pode atrapalhar o escalador. Sendo assim é nescessário um pouco de prática para dar seg com ele. Agora, pelo lado bom, cordas dinamicas com diâmetro entre 9,8 e 10,5 (que são as que eu já testei) correm mt, mas mt mais livre nele do que no gri-gri. Claro tomando cuidado com o problema mencionado a cima. O sistema de travamento do Cinch, também é mais simples, proporcionando a ele um peso bem menor. Ele tem apenas duas peças, uma de cada lado. Quando ocorre a queda, um lado dele sofre um pequeno giro, esmagando a corda e travando-a.Após um curto período avaliando os dois. Eu vendi o gri-gri e fiquei com o cinch. Primeiro por ser mais fácil e mais lucrativo vender o gri-gri, que é um aparelho de marca conhecida, mas também por eu realmente ter preferido o Cinch, pelo peso e pela liberdade em que a corda corre. Agora, já com alguma prática de trabalho com ele, não tenho mais nenhum problema de travamento. Espero ter ajudado.

Rafael Grisi




Tenho um Cinch e achei ele excelente, mas principalmente para cordas mais finas (9.7) ela corre mais fácil, principalmente na hora de descer de baldinho. As cordas mais grossas (10.2) o Cinch trava muito. É mais leve q o Grigri e mais barato. Outra vantagem e que o próprio guia puxa a corda sem necessidade de ficar liberando corda com a mão , é só deixá-lo destravado.

Fernando Koberle




Nenhum comentário: