quinta-feira, 27 de março de 2008

Por um Planeta mais limpo

230 milhões de toneladas. Isso é o que o mundo produz de plástico todos os anos. No Brasil, são cerca de 1 milhão de toneladas de plástico produzidos anualmente. São dados preocupantes já que apenas 20% desse total é reaproveitado e uma simples sacolinha de supermercado pode levar até 400 anos para se decompor. Atualmente, nada menos que 12% do lixo brasileiro são de resíduos plásticos.




Usadas em açougues, padarias, farmácias e, principalmente, nos supermercados as sacolas plásticas são um dos maiores vilões do meio ambiente. Para se ter uma idéia da gravidade do problema, apenas uma rede de supermercados de Belo Horizonte, com três lojas, oferece 1 milhão e 200mil sacolas por mês a seus clientes, são 14,4 milhões de sacolinhas plásticas a mais todos os anos na natureza, provenientes de apenas uma rede com três lojas. Em Minas Gerais existem mais de 5 mil supermercados... Fora os açougues, as farmácias, as padarias...
O destino de todo esse material, muitas vezes, é o oceano. Segundo o Programa Ambiental das Nações Unidas, existem 46 mil fragmentos de plástico em cada 2,5 quilômetros quadrados da superfície dos oceanos, o que confunde centenas de espécies de pássaros e mamíferos que engolem esse material pensando se tratar de alimento. Em 2002, uma baleia minke foi encontrada morta no norte da França com 800 quilos de sacolas plásticas no estomago. A substância já responde por 70% da poluição marinha por resíduos sólidos.





Alguma coisa precisa ser feita. Um importante passo já foi dado. Foi sancionada, no final do mês passado, uma lei que proibirá – dentro de três anos - o uso de sacolas plásticas convencionais no comércio de Belo Horizonte. As lojas terão que se adaptar oferecendo exemplares ecologicamente corretos. Alguns supermercados da capital já estão usando, em suas sacolas, um material que facilitaria a decomposição pela ação de microorganismos. Porém, por se tratar de uma nova tecnologia, ainda há dúvidas quanto à eficácia do processo. O que deve ser primordial é a conscientização da população. Deve-se evitar o consumo exagerado de embalagens e aumentar o percentual de reciclagens no país. Se você for fazer compras para sua próxima escalada ou para o dia-a-dia leve sua sacola de casa, faça questão de recusar as sacolas oferecidas, explicando sempre o porquê para convencer cada vez mais pessoas. Reutilize as garrafas pet, evite ao máximo comprar garrafas de água toda vez que for escalar. Produza o mínimo de lixo possível e estimule o consumo consciente. A ação de cada um faz a diferença.

Nenhum comentário: