sexta-feira, 28 de março de 2008

Tocha atrapalha brasuca que sobe o Everest

O brasileiro Rodrigo Raineri não poderá chegar ao cume do Monte Everest entre os dias 1º e 10 de maio. A passagem da tocha olímpica pelo topo do monte mais alto do mundo fez com que o governo do Nepal proibisse as escaladas pela face sul da montanha no período. A medida causou uma série de complicações para os montanhistas, que costumam programar suas expedições justamente para essa época, a que oferece melhores condições climáticas para a subida.
A situação é ainda mais complicada porque a China foi radical, e fechou a face norte por tempo indeterminado aos estrangeiros, o que causou um fluxo maior de pessoas escalando pelo sul (Nepal).
- O mercado de equipamento também oscila muito. Com a demanda, os preços subiram muito. Quando houve os rumores de fechamento no Nepal, os preços despencaram. Quando eu cheguei aqui, os preços já tinham subido porque a situação já estava equilibrada - diz Raineri, em comunicado enviado por sua assessoria.
Outro problema para o brasileiro é a situação política no Nepal. O país terá, em abril, as primeiras eleições diretas de sua história, e várias manifestações tomam as ruas ao longo dos dias.
- O clima está bem tenso. As expedições estão partindo, mas é tudo uma correria. Gente atrás de iaques, carregadores, cozinheiros, e arrumando as barracas às pressas porque durante muito tempo todo mundo ficou parado esperando a decisão do governo do Nepal - completa o brasileiro.Rodrigo Raineri tentará chegar ao cume do Everest sem utilizar oxigênio suplementar, acompanhado pelo amigo Eduardo Keppke. No dia 1º de abril, os dois começarão sua subida rumo ao acampamento-base, que fica a 5.300m de altitude. A caminhada dura cerca de duas semanas e, a partir de então, eles passarão um mês em aclimatação. Só então atacarão o cume.

Nenhum comentário: