segunda-feira, 19 de maio de 2008

André Ilha cotado para assumir Chico Mendes

Analista ambiental do Ibama é cotada para o cargo de secretária-executiva
Wilson Tosta e Felipe Werneck

O novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, se reunirá amanhã com a cúpula da Secretaria de Ambiente do Rio para discutir a lista de nomes que comporá a futura direção do órgão, cujo comando assumirá na próxima semana em substituição à senadora Marina Silva (PT-AC), que se demitiu.
Em seus contatos com o Brasil - ele passou a semana em Paris, em missão oficial do governo fluminense, e chega amanhã -, Minc indicou querer nomear para secretária-executiva uma auxiliar próxima, Izabella Mônica Vieira Teixeira, hoje subsecretária de Política e Planejamento Ambiental. Para presidir o Instituto Chico Mendes, Minc deseja indicar André Ilha, presidente do Instituto Estadual de Florestas (IEF) do Rio. Outros quadros da secretaria estão cotados para migrar para o ministério.
Izabella é desde 1984 analista ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Já ocupou cargos de chefia também no próprio Ministério do Meio Ambiente. É bióloga formada pela Universidade de Brasília (UnB), onde se bacharelou e licenciou na disciplina. É mestre em Planejamento Energético pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com a dissertação “Indicadores ambientais para o monitoramento de florestas tropicais no Brasil”. Seu orientador foi o hoje presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, ligado à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, uma das que reclamam de atrasos na liberação de licenças para obras. Em 2002, Izabella obteve o seu doutorado na UFRJ.
EXECUTIVO
Funcionários da Secretaria do Ambiente esperam que Minc repita no ministério o estilo de trabalho que imprimiu no Estado. Ele chega para trabalhar entre 8 horas e 10 horas, ficando muitas vezes até as 22 horas. É considerado um chefe do tipo “chato”, que cobra resultados e telefona para auxiliares durante o fim de semana para falar de trabalho. Toda segunda-feira, às 16 horas, reúne-se com a cúpula do órgão. O encontro muitas vezes vai até as 20 horas. Outra característica de Minc destacada na secretaria é a habilidade política. Ele procura ouvir todos os lados antes de decidir, mas raramente alguém deixa de ser contemplado com alguma coisa nas polêmicas. Em sua gestão no Rio, ele conseguiu proteger o Fundo Estadual de Conservação Ambiental de investidas, por exemplo, do setor de transportes, preservando recursos. Também investiu na profissionalização, criando o Instituto Estadual do Ambiente, resultado da fusão do IEF, Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema) e da Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (Serla).


Fonte: http://txt.estado.com.br/editorias/2008/05/17/pol-1.93.11.20080517.18.1.xml

Nenhum comentário: