quinta-feira, 17 de julho de 2008

Trabalho voluntário contribui para aumento da visitação no Parque Estadual da Serra da Tiririca - RJ

O trabalho de voluntários do Grupo Brasileiro de Protetores Ambientais (Gbrapa) no Parque Estadual da Serra da Tiririca (Niterói e Maricá) foi alvo de homenagem da direção do Instituto Estadual de Florestas (IEF/RJ). A entidade, que firmou termo de cooperação com o instituto no ano passado, mantém 15 monitores voluntários atuando na unidade para a orientação de visitantes e patrulhamento – trabalho que contribuiu para a elevação do número de visitantes e da presença de famílias no parque.
O presidente do IEF/RJ, André Ilha, recebeu um grupo de monitores nesta terça-feira (08/07), na sede do instituto. Ele destacou que está em andamento um programa de voluntariado para todas as unidades de conservação estaduais e que a atuação dos voluntários no Parque da Tiririca é um exemplo dos bons resultados que tais programas podem trazer para a gestão das unidades de conservação estaduais.
- O trabalho dos voluntários é muito importante e merece todo o nosso incentivo – afirmou.
André Ilha ressaltou que as unidades de conservação receberão um reforço de pessoal com a entrada em funcionamento, no início do próximo ano, do Serviço de Guarda-Parques. Os guarda-parques serão bombeiros concursados que atuarão de forma permanente nas unidades em tarefas que variam da orientação aos visitantes até a fiscalização e prevenção e combate a incêndios florestais.
A diretora de Conservação da Natureza do IEF/RJ, Alba Simon, disse que o trabalho dos voluntários tem trazido uma contribuição significativa para a administração da unidade, que recebe cerca de 50 mil visitantes por ano. Os monitores atuam nas trilhas mais populares do parque, como a do Costão, que pode receber até 600 pessoas por dia nos finais de semana.
A presença dos voluntários e as medidas de melhoria de infra-estrutura tomadas pelo IEF/RJ também estão alterando o perfil dos visitantes do parque, segundo o administrador Adriano Lopes de Mello. Praias do entorno do parque e que servem de acesso para as trilhas, como a de Itacoatiara, são tradicionalmente um reduto de jovens. Nos últimos meses, no entanto, aumentou o número de famílias em busca de um passeio saudável e seguro.
Os voluntários também são beneficiados com o programa, segundo o presidente do Gbrapa, entidade fundada em 1999 e que tem sede em São Gonçalo. Os 60 membros da entidade, que passam por rigorosa seleção para o ingresso, participam de oficinas e cursos de capacitação. Segundo José Raimundo Fernandes, a parceria com o Parque da Tiririca, iniciada no ano passado, é importante para trazer aos jovens a conscientização sobre a importância da preservação do meio ambiente.
- É uma iniciativa de resgate da cidadania. Eles têm a oportunidade de realizar um trabalho sem receber algo em troca, apenas pela satisfação de fazer o seu papel pela preservação do meio ambiente – disse Fernandes, que enfatiza a disciplina em todas as atividades do grupo.
Os voluntários que visitaram o IEF/RJ têm outros motivos de satisfação. O mais idoso, o gráfico aposentado Nilton Rodrigues, 59 anos, gosta do contato permanente com público variados – desde moradores da região a turistas – nas tarefas de orientação que desempenha. Um dos voluntários mais jovens, Marlon Jefferson, 18 anos, diz que o treinamento será importante para a carreira militar que pretende seguir. Mesmo quem atua em áreas administrativas, como Renata dos Santos Gomes, 27 anos – cerca de um terço dos membros do grupo são mulheres – também encontra chance de participar de atividades externas, como a que a levou à Trilha do Alto Mourão.
O presidente do Gbrapa, José Raimundo Fernandes, recebeu uma placa comemorativa e os monitores um diploma. O Gbrapa também homenageou os dirigentes do instituto com diplomas.

Nenhum comentário: