terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Ministro elogia programa de turismo no Parque da Serra dos Órgãos


Um dos parques mais antigos do Brasil, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso) teve as comemorações de 70 anos de sua fundação nesta segunda-feira (30), em Teresópolis. Inaugurado em 1939, o local foi criado para proteger a paisagem e a biodiversidade do trecho da Serra do Mar na região serrana do Rio de Janeiro - consideradas por especialistas como excepcionais.

Famoso por abrigar locais conhecidos nacionalmente, como a montanha Dedo de Deus - considerada o marco inicial da escalada no Brasil, ocorrida no local pela primeira vez em 1912, e o pico da Pedra do Sino, o Parnaso possui ainda a trilha Petrópolis-Teresópolis, com uma extensão de 30km, avaliada como a mais bonita do Brasil.

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, esteve presente ao evento de inauguração do Centro de Visitantes de Teresópolis e da Trilha Suspensa, que conta com 1.300 metros de percurso em meio à copa de árvores e com vista para montanhas e cachoeiras.

Outra novidade é o abrigo de montanha, localizado a 2100 metros de altitude, na parte mais alta do parque. O chalé tem capacidade para 30 pessoas, conta com cozinha e banho quente, e é uma estrutura de apoio para a travessia Petrópolis-Teresópolis.

Minc ressaltou a importância do Programa Turismo nos Parques - realizado em parceria entre o MMA e o Ministério do Turismo, lançado no ano passado-, que investiu cerca de R$3milhões no Parnaso. "Não basta a criação de unidades de conservação, é importante incentivar a pesquisa e a visitação para melhorar a proteção dos parques", disse o ministro.

O chefe do Parque, Ernesto Viveiros de Castro, disse que com os investimentos realizados nos últimos cinco anos, o Parnaso é hoje a unidade de conservação com o maior número de pesquisas do Brasil, computando ao todo 70 projetos de pesquisa nas áreas de ecologia, botânica e zoologia, dentre outras.

Castro explica que o local é uma das áreas de maior biodiversidade da Mata Atlântica, bioma que é considerado em todo o mundo como detentor de grande diversidade de flora e fauna. "Além disso, o Parnaso se destaca pelas possibilidades de ecoturismo e turismo de aventura", disse o biólogo, co-autor do livro, que também foi lançado nesta segunda-feira, Parque Nacional Serra dos Órgãos - Guia de Trilhas, Cachoeiras e Montanhas , feito em parceria com o montanhista Waldyr Neto.

Também presente ao evento, o ministro do Turismo, Luiz Barreto, enfatizou a importância da visitação aos parques como forma de estimular a preservação desses locais, e disse que "é possível promover as visitas de forma ordenada".

Minc disse ainda que "o meio ambiente deve fazer uma aliança com o turismo, a ciência e tecnologia e com as prefeituras, e não pode se isolar", referindo-se às parcerias bem-sucedidas realizadas no Parnaso.

Ele elogiou o livro sobre o Parnaso dizendo que "trabalhos como esse trazem mais pessoas para o parque e ajudam a informá-las. Acredito que a melhor defesa dessas áreas é o bom uso desses espaços", concluiu.

O ministro do Meio Ambiente acrescentou que os incentivos ao parque vão ajudar a fortalecer o pólo serrano de turismo, hotelaria e gastronomia. O chefe do Parnaso acrescentou que para reforçar a visitação da região na época da Copa e das Olimpíadas, a sede de Petrópolis será reforçada para oferecer mais estrutura aos visitantes. "Vamos ampliar a sede e implementar estacionamento, área de camping, alojamento para pesquisadores e outras estruturas".

Participaram ainda do evento o prefeito de Teresópolis, Jorge Mario (PT-RJ) e o presidente do ICMBio, Rômulo Mello.

Espécies raras - O Parnaso protege florestas de encosta e campos de altitude entre 80m e os 2.275m da Pedra do Sino, ponto culminante da Serra dos Órgãos. A variação de altitude criou ambientes únicos e de ampla diversidade biológica.

O parque protege também mais de 462 espécies de aves,105 de mamíferos e um grande número de espécies endêmicas (organismos típicos que só ocorrem em uma determinada região).

Além da beleza e da importância da conservação de suas espécies, o Parnaso é considerado um dos melhores locais do País para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros. Sua extensão abrange 20.024 hectares protegidos nos municípios de Teresópolis, Petrópolis, Magé e Guapimirim.

Turismo de aventura - No parque também existem as paredes mais difíceis de se escalar do País, que exigem escaladas mais técnicas. Os montanhistas podem levar até 7 dias seguidos na parede para atingir certos pontos. Dentre os mais conhecidos, destacam-se, além do Dedo de Deus, a Agulha do Diabo, Pedra do Sino e Castelos do Açu.

O visitante paga R$3 para entrar nas sedes e R$12 para ingressar nas áreas de montanha. Quem deseja acampar paga uma taxa de R$6, que já está incluída na entrada das áreas de montanha.

(Fonte: MMA): http://noticias.ambientebrasil.com.br/noticia/?id=50152

Nenhum comentário: