segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Conquista no Monte Serrat em Aracruz

.
O Monte Serrat em Aracruz, ES.


Aracruz faz parte da região norte do litoral capixaba. Além de belas praias, o município tem também: montanhas! E a mais conhecida é o Morro do Pelado, que também recebe o nome de Monte Serrat. Este nome originou-se quando em 1931 o Sr. Osvaldo Baiano construíu lá no alto a Igreja de Nossa Srª de Monte Serrat, e assim a montanha ficou mais conhecida e passou a receber muitos visitantes que sobem até o topo, de onde se tem um visual fantástico da região.


Capela no topo da montanha.


Há uns tempos atrás havia recebido uma foto ruim e embassada que mostrava essa montanha ao longe, não dando para definir muita coisa pela imagem. Intrigado - mas apostando que ali daria escalada - fui lá com o Hermes 'Soldado' para conferir de perto, e constatamos que o paredão frontal era bem atrativo e seria muito cabível para uma via tradicional.


Gafanhoto.


Na semana passada as pancadas de chuva deram uma trégua por aqui, e na sexta às 5h da matida rumei pra lá com o Raul Rothschaedl. Passamos em Aracruz, pegamos o escalador local André Luiz 'Tesourinho' e fomos até o sítio que dá acesso ao Monte Serrat para, conversar e pegar o haval do acesso. 'Seu Du' e seu filho se animaram com a idéia e abriram prontamente as porteiras para nós, e para os escaladores que por lá passar futuramente.


Tranquila caminhada de aproximação.


A caminhada de aproximação é super tranquila: um pasto plano que passa por entre muitos blocos, onde certamente sai alguns bouldes. Na base traçamos a linha óbvia e mais comprida da parede para abrir a via que levaria até a capelinha no topo. Constatação de rocha repleta de cristaizinhos, boa aderência e não muito dura para furar. Perfeito, a conquista iria fluir.


André batendo a primeira chapa da via.


O André começou a escalar, se adaptando aos trabalhos com o reboque da furadeira, e conquistou a primeira enfiada. Depois segui e conquistei a próxima que chegou em um platô (parada em árvore) confortável e com sombra, que marca a metade da via.


Primeira enfiada.


A escalada estava fluindo de forma rápida e com um clima super agradável. Na ânsia de ver a linha ganhando forma, parti para conquistar a terceira enfiada, que se mostrou sendo o lance crux da via, ficando este ponto bem protegido. Um lance antes que ficou um pouco exposto, que apesar de fácil, é bom escalar com cautela.


Baldin no lance 'tecnicuzinho' da via.


Com o sol ainda alto no céu, vimos que a parede estava quase toda percorrida, faltava pouco para terminar a via. Bati mais três chapas da quarta enfiada e fomos obrigados a descer, pois acabara as chapeletas. Não parecia que a conquista iria fluir de maneira tão rápida. Então só nos restou descer e voltar no outro dia para finalizar.


Raul pouco antes de chegar no platô da metade da via.


Voltamos na sexta com o livro de cume na mochila. Terminei de abrir a quarta enfiada, e o Raul fez o ultimo lance de escalada até chegar na vegetação (parada em coqueiro), finalizando a via com 230 metros. Depois foi subir por uns pequenos costões, mais um trecho em meio à vegetação e cume! Um visual muito bonito lá de cima, com montanhas de um lado e o grande litoral do outro.


A eficiente e sempre presente bolsa da Equinox para rebocar a furadeira.


Mas confesso que a parte difícil desta conquista foi encontrar um nome para a via. Ficamos um bom tempo no cume pensando, pensando, e pensando... e nada vinha à mente! Já irritados (essa é a verdade) e tendo que lá deixar o livro de cume, a via ficou batizada de 'Capela', pela total falta de criatividade. Mas tudo bem, no final das contas este nome tem até um pouco haver... só que poderia ser melhor.


Cume!


Deixamos o livro um pouco antes do cume, visto que o local recebe a visita de caminhantes com frequência. Esta debaixo de uma laca à direita, bem em cima do largatão por onde se chega caminhando. Com a foto abaixo dá pra entender.


Linha da via Capela. Clique para ampliar.


Acesso: Seguir pela BR 101 norte e ir até Aracruz (80km de Vitória). No centro da cidade existe um trevo onde deve pegar para esquerda com destino ao distrito de Guaraná. Depois de uns 6 km por esta estrada existe o portal de entrada do Monte Serrat (à esquerda). De lá é só seguir por mais 2km de estrada de chão em direção à montanha, que estará à vista e não tem erro.


Clique para ampliar o croqui.


A ótima notícia é que não precisa rapelar. Coloque seu tênis na mochila e desça caminhando por detrás da montanha, por uma trilha que tem alguns trechos com degraus que foram construídos a mais de 70 anos, na época da construção da capela.

Mais fotos e as imprensões do Raul em: http://rgrfot.blogspot.com/2010/12/conquista-da-via-capela-aracruz.html

.

5 comentários:

RgRfotografias disse...

Boa Baldin! Que seja muito frequentada a via! Ficou ótimo o croqui! Parabéns!

Anônimo disse...

Irado Brother!!!

Parabéns pela conquista!!!!

Grande Abraço
Marcelo Borborema

Baldin disse...

Pois é Marcelo, valeu pela dica da montanha!
E simbora pra próxima conquista Raulzito!
Abraço.

Renato disse...

Que beleza !! pode acreditar, estou aqui em Aracruz no SESC, com as tralhas no carro e o comparsa a tiracolo (meu filho Guilherme) e bateu uma enorme vontade de ir lá repetir a via e assinar o livro que vcs deixaram por lá...é só o tempo colaborar que vou lá conhecer a encrenca. Depois mando fotos

Braços

renato

Baldin disse...

Oh Renato, entra lá na via mesmo e toca pro cume, vai curtir demais... visual fantástico.
Precisando de alguma info é só ligar: (27) 9998-4485.
Boa escalada!